Posts Marcados Com: Maceió

Maceió: Vídeo (Post 6/6)

Os relatos sobre minha viagem à Maceió chegaram ao fim no post 5 da série. Mas como havia prometido, eis que publico um vídeo com pequenas filmagens da viagem.

Espero que gostem! 🙂

E aí? O que te chamou mais atenção? 😀

Se perdeu os outros posts, não tem problema! Você os acha AQUI!

Categorias: Viagens | Tags: , | Deixe um comentário

Maceió: Passeios e Praias – 3ª parte (Post 5/6)

Para fechar bem a terceira parte sobre passeios e praias, nada melhor do que falar sobre a praia  que é considerada uma das mais belas do Brasil.

Praia do Gunga:

Como era o nosso último dia em Maceió, acordamos cedo e fomos direto conferir se o Gunga é realmente tudo o que falam. A praia fica a 33 km ao sul de Maceió. Fácil de chegar, pois tem sinalização. A primeira coisa que fizemos foi subir no mirante (R$2,00) para ver o coqueiral que é uma fazenda de coco. Vista linda e impressionante! Chegamos por volta das 8h e a praia ainda estava vazia. Esta é a dica: chegar cedo para escolher o melhor lugar e curti-lo ainda vazio…faz uma enorme diferença! Ao chegar cedo, você também tem a oportunidade de aproveitar melhor o passeio de bugue ou quadricíclo para ver as falésias que ficam em uma praia deserta depois do Gunga. Super indico!!! Fizemos o passeio de quadricíclo (R$70,00 casal em 1 quadricíclo) e fomos os primeiros do dia a fotografar aquela beleza sem outras pessoas para “acabar” com a foto! Super divertido e emocionante ver aquela paisagem deslumbrante! Depois de fotografar bastante, o guia, meu marido e eu passamos por vários bugues que estavam indo para o lugar de onde estávamos voltando! Smiley de boca aberta É sempre bom alertar que, apesar desta praia deserta ser linda, não é legal ir sozinho por motivo de segurança.

A praia do Gunga tem toda uma estrutura de barracas com mesas, cadeiras, espreguiçadeiras e guarda-sois. Um sistema que achei interessante era o fato de cada mesa possuir uma bandeirinha. Se você quisesse falar com o garçon, não era necessário ficar gritando, era só hastear a bandeirinha e este era o sinal para o funcionário da barraca vir te atender. Gostei. Polegar para cima

Outra característica desta praia é que de um lado você toma banho de mar e do outro de rio. Muito legal! É uma delícia! Adorei esta praia!!! Recomendo a todos, principalmente, se for para chegar cedo!!!

IMG_4699_thumb4_thumb

Vista do mirante do Gunga: Fazenda de coco.

IMG_4709_thumb3_thumb

Linda e vazia às 8h da manhã.

IMG_4710_thumb4_thumb

Depois deste coqueiral, uma praia deserta!

IMG_4711_thumb4_thumb

Passeio de quadricíclo: indo em direção a praia deserta.

IMG_4737_thumb4_thumb

Passeio de quadricíclo: falésias.

IMG_4740_thumb3_thumb

Ao chegar cedo, você tem a possibilidade de fotografar assim: sem pessoas! : )

IMG_4751_thumb4_thumb

Lindo D+! Uma delícia mergulhar nestas águas frescas e doces do rio que deságua no mar.

IMG_4762_thumb4_thumb

Passeio de quadricíclo: praia linda e deserta.

MACEI-2012-006_thumb6_thumb

Praia do Gunga: o lado do rio.

MACEI-2012-014_thumb4_thumb

Rio na praia do Gunga.

MACEI-2012-015_thumb3_thumb

Primeiro plano: Rio na praia do Gunga.
Segundo plano: atrás do arrecife, o mar.

 

Dunas de Marapé:

Este foi o último passeio que fizemos. Depois de ter curtido bastante a praia do Gunga, convenci meu marido a dar uma esticadinha até Dunas de Marapé, por ficar a uns 20 km do Gunga. Foi fácil chegar, só seguimos as placas. Ao chegarmos lá, tínhamos que deixar o carro em um estacionamento e pegar uma balsa para atravessar para o complexo Dunas de Marapé. Se você for almoçar, o preço é R$40,00 por pessoa. Como já tínhamos almoçado, nos cobraram R$20,00 por pessoa. Achei caro, pois não queríamos usufruir do local, queríamos apenas atravessar para ver a praia. Como era nosso último dia de viagem, aceitei o preço. E eis que depois de atravessarmos na balsa, descobrimos que não precisávamos pagar nada daquilo. Era só ter andado um pouco mais com o carro e parar diretamente na praia. Fiquei furiosa!!! Me senti completamente enganada!!! Explodindo de raiva Afinal, eu havia avisado que não queria usar o serviço do complexo. Mas para pegar a grana fácil da “idiota” aqui, não avisaram que era só continuar o caminho. Portanto, #FICA A DICA: para conhecer a praia não é necessário atravassar em balsa nenhuma! Você faz isso se quiser ficar no complexo.

Se eu gostei de lá? Provalvelmente, minha opinião é muito parcial devido a raiva que senti por ter sido enganada. Já era final de tarde e paguei R$40,00 (o casal) para passar por dentro do complexo, ir até o mirante, tirar algumas fotos de lá, e dar um mergulho no mar e só! Fomos embora porque estava ameaçando a chover. Para famílias a estrutura pode até ser legal. Se arrependimento matasse!!! Ainda bem que a maior parte do dia foi no Gunga!

IMG_4775_thumb3_thumb

Vista do mirante do complexo Dunas de Marapé.

IMG_4776_thumb4_thumb

Vista do mirante do complexo Dunas de Marapé.

IMG_4769_thumb3_thumb

Habitante do lugar.

IMG_4771_thumb5_thumb

Ô bichinho feio!

Espero que tenham gostado das dicas e das fotos!

No próximo e último post desta série, você verá um pequeno vídeo com imagens que fiz desta viagem! Aguardem! Smiley piscando

Se você perdeu os outros posts da série, não tem problema. Você os acha AQUI!

Categorias: Viagens | Tags: , , , | 8 Comentários

Maceió: Passeios e Praias – 1ª parte (Post 3/6)

Chegou a hora mais esperada!!!! Que praias conhecer e que passeios fazer em Maceió?

Para mim, as praias são hors concurs em Alagoas. Digo o Estado porque tanto em Maceió quanto ao norte ou ao sul da capital, as praias são lindíssimas. Portanto, segue o relato das praias que visitei.

Pajuçara e Ponta Verde:

São as duas praias de Maceió mais movimentadas. A orla possui váriosclip_image002bares e clip_image004 restaurantes. Aos domingos, a rua junto à orla é fechada para que as famílias possam passear, andar de bicicleta, etc. É uma delícia caminhar sem compromisso de horário! Ponta Verde é mais residencial do que Pajuçara. Nesta, há o passeio às piscinas naturais. Falei sobre elas neste post). Há, também, as feirinhas de artesanato (para ler sobre clique AQUI). Estas praias têm a melhor localização para hospedagem.

clip_image005

clip_image006

clip_image007

Praia do Francês:

A 18km ao sul de Maceió, visitamos esta praia com o city tour que fizemos. Por estar próxima de Maceió, fica lotada, principalmente nos finais de semana e na alta temporada. Fui em uma quarta-feira em janeiro e estava muito cheia. É muito bonita, porém, como diz Riq Freire, as mesas e cadeiras de plástico estragam a paisagem. Como meu marido e eu preferimos praias mais calmas (quanto menos gente melhor), não curtimos esta praia, achamos as fotos aéreas mais bonitas do que o que vimos em terra firme. Deixando claro que este é o nosso gosto. Há muitas pessoas que amam esta praia! Se você gosta das estruturas de barracas com música, vai gostar da praia do Francês. Tem passeio de barco e, para os mais corajosos, (mas eu não indico porque parece que já ocorreu acidente) uma asa delta acoplada a um bote que sobrevoa a área.

clip_image008

clip_image009

clip_image010

Praia de Paripueira:

Fica a 33km ao norte de Maceió e é conhecida por suas piscinas naturais. Fomos com a empresa de receptivo que nos buscou no aeroporto (R$30,00 por pessoa). Lá chegando, ficamos no Restaurante Mar & Cia.  (que é ponto de apoio da CVC) e já compramos os passeios que queríamos fazer: as piscinas naturais e a praia de Carro Quebrado. Infelizmente, não me lembro dos valores pagos nos passeios para poder informar. clip_image014Mas o que eu realmente me lembro é que você tem que prestar atenção no horário se quiser fazer estes dois passeios no mesmo dia. Não dá tempo de almoçar!!! Antes de irmos para as piscinas naturais, meu marido conseguiu fazer um pedido no restaurante para que quando voltássemos do passeio pudéssemos comer uma porção de batata frita às pressas antes de imendarmos na outra atividade.

A praia de Paripueira em si não me chamou muita atenção. Não sei se foi à época que eu fui, mas tinha muitas algas no mar e na areia. Ao andar até o barco as algas se enrolavam nas minhas pernas, me dando certo nervoso. As piscinas naturais são legais, águas mornas e cristalinas. Se tiver muita gente junta, a visibilidade pode piorar, pois a tendência é de as pessoas fazerem muitos movimentos e levantarem areia. Lembrando que é sempre importante checar a tábua das marés para saber se a maré estará baixa no dia de sua visita. Caso contrário, nada de passeio. Se a lua clip_image016for cheia ou nova melhor ainda, grandes chances de se ter um bom passeio já que estas luas são propícias para o mar ter boa visibilidade. Hoje em dia, eu sempre pesquiso a tábua das marés antes de marcar a minha viagem se houver alguma programação relacionada a este fato.

clip_image018Situação para de lá de desagradável: Assim que chegamos a Paripueira, o guia nos alertou para não irmos à parte mais distante do ponto de apoio, que era uma área deserta de coqueiral, aliás, o trecho mais bonito, porém, “visado”. Duas meninas não “ouviram” o alerta e foram assaltadas. Portanto, atenção!

clip_image019

clip_image020

clip_image021

clip_image022

clip_image023

clip_image024

Praia de Carro Quebrado:

Assim que “engolimos” a batata frita, fomos esperar o ônibus que nos levaria a outra praia de onde partiria a lancha rápida para a Praia de Carro Quebrado. Pois é, esta lancha não sai de Paripueira. Na realidade, o ônibus clip_image026 é uma jardineira dirigida por um figuraça local chamado Coisado! Ele é uma mistura de motorista com comediante nordestino. O sucesso dele é tanto, que ele já faz parte como atração do passeio. Rimos muito! clip_image028Coisado tem até uma comunidade no Orkut. Devido ao agradável e engraçado “show” de Coisado enquanto dirige, não me lembro quantos minutos levamos de Paripueira até o outro ponto de partida, mas é bem longinho.

Pegamos a lancha e partimos para Carro Quebrado. Nunca havia andado em uma lancha rápida e me senti chique, Bem, risos! Ah, muito importante: proteja bastante sua clip_image030 máquina fotográfica, pois neste trajeto você molha até sua alma, risos!

Amei a praia!!! Lindíssima!!! Praticamente deserta, falésias coloridas e água morna!!! Tudo-de-bom!!! Não tem estrutura alguma, então leve sua garrafinha d’água e algum biscoitinho. Vale muito a pena!! clip_image032

clip_image033

clip_image034

clip_image035

clip_image036

clip_image037

Já visitaram alguma dessas praias? Qual a sua preferida?

Adorei todas, mas devo confessar que desta seleção a minha predileta é Carro Quebrado! clip_image039

No próximo post a continuação das belas praias de Alagoas…

NÃO PERCAM!!!

Se você não leu os primeiros posts sobre Maceió, é só clicar nos links abaixo:

Maceió em Linhas Gerais (2012)

Maceió: Compras e Restaurantes (2012)

Categorias: Viagens | Tags: , , , , , , , | 7 Comentários

Maceió: Compras e Restaurantes (post 2/6)

Geralmente, as viagens têm seus momentos de gula e consumismo…

O post, de hoje, vem com as minhas dicas de restaurantes e os meus relatos sobre as feirinhas de artesanato. Feirinhas estas adoradas pela mulherada e odiada pelos homens que ficam plantados esperando as tais compras que nunca acabam, risos!

Meu maridão é um ótimo companheiro, mas, como todo homem, tem certa aversão a feirinhas. Para deixá-lo feliz, basta ter um livro em sua posse para que ele fique sentadinho na companhia das letras da literatura enquanto eu me divirto entre as barraquinhas! clip_image002 Assim, todo mundo fica satisfeito!

Há dois “points” principais que ficam na orla de Pajuçara e são próximos um do outro. Tem um prédio de dois ou três andares, que é o pavilhão de artesanato onde o city tour costuma deixar os turistas. A outra feirinha fica no calçadão da praia. Você vai encontrar todo tipo de artesanato visto no nordeste e, na minha opinião, tudo o que você acha em uma feirinha, tem na outra também. Eu sei, eu sei… não adianta eu falar isto, pois nós mulheres temos que comparar tudo, né?! clip_image004 Bem, dentre as “coisitchas” que comprei, destaco os dois vestidos e bolsa pintados à mão e o colar feito de papel reciclado de saco de cimento. Foram comprados no prédio de artesanato, sendo o colar no térreo e os vestidos e a bolsa no segundo andar. A loja dos vestidos tem outras peças pintadas à mão pela artista Lu. É claro que o preço destes artigos é mais caro se comparado com o das “miudezas” da feira, mas, como eu adoro vestidos, fiquei encantada com o trabalho da artista, além do que, eu jamais acharia vestidos iguais e pintados à mão no Rio pelo preço que comprei (R$80,00 a R$120,00).

vestidos 001

Colar feito de papel reciclado de saco de cimento.

vestidos 004

Bolsa pintada à mão pela artista Lu.

vestidos 015

Vestido pintado à mão.

vestidos 017

Comprado no prédio de artesanato.

clip_image002[4]  Agora, vamos aos endereços da gula…

Em Maceió todo mundo fala do “chiclete de camarão”, que nada mais é do que camarão coberto com queijo derretido. Realmente é gostoso e vale experimentar. Para tal degustação, escolhemos o famoso “Imperador dos Camarões.”Gostei do restaurante, porém, achei o preço meio salgadinho. Adorei a decoração: as luminárias feitas com coco dão um toque especial.

MACEIÓ 2012 033

A opção que encontramos mais em conta para comer aquele camarão à milanesa esperto foi o Parmegianno. Gostamos do serviço e, principalmente, do preço. Só cuidado com a hora que você vai, pois pode pegar fila para entrar.

Experimentamos a gostosa pizza de forno à lenha do Armazém Guimarães. A decoração também é bem legal, mostrando placas de ruas e objetos como telefones e rádios de antigamente.

MACEIÓ 2012 139

MACEIÓ 2012 144

A famosa Soveteria Bali é realmente um ótimo programa de final de tarde! O único problema, para uma pessoa indecisa como eu, é conseguir escolher entre os mais de 70 sabores! Hummmm!  clip_image002[6]

Agora, o lugar que praticamente virou o nosso “point” foi a Nakaffa cafeteria. Meu marido é louco por café (eu não tomo) e ele me disse que, lá, tomou o melhor café de sua vida! O lugar parece ser mais frequentado pelos moradores da cidade.

IMG_4693

SERVIÇO:

Imperador dos Camarões:Pajuçara – PRAIA: Avenida Doutor Antônio Gouveia, 21 – tel.: (82) 3327-5252 / RESTAURANTE: Avenida Doutor Antônio Gouveia, 607– tel.: (82) 3231-4134.

Parmegianno:Pajuçara – Avenida Doutor Antônio Gouveia, 1259B – Tel.: (82) 3313-9555 – Horário: 11h/0h (sex. e sáb. até 1h) / Jatiúca – Rua José Luiz Calazans, 44 – Tel.: (82) 3325-9495.

Armazém Guimarães:Jatiúca – Av. Dr. Antônio G. de Barros, 188 – Tel: (82) 3325-4545 – Todos os dias das 18h as 00h.

Sorvetes Bali:Praia de Pajuçara – Av. Dr. Antonio de Gouveia . 451 – Tel. (82) 323-8833.

Nakaffa: Ponta Verde – Av. Silvio Carlos Viana, 1785 A – Tel.: (82) 3313 6459 – Horário de funcionamento:
Todos os dias de meio dia a meia noite.

No próximo post, a melhor parte: as praias!!!

Se te interessar, pode ler o post de introdução com a minha visão geral de Maceió, clicando AQUI.

Categorias: Comida, Viagens | Tags: , , , , , , | 4 Comentários

Maceió em Linhas Gerais (série de 6 posts – 1/6)

Eu já escrevi aqui no entreviagens um post entitulado “Maceió – a primeira vez a gente nunca esquece!” relatando a rápida experiência que tive quando o navio do cruzeiro que eu fazia aportou por lá por algumas horas.

Bem, daquela vez, meu marido e eu ficamos com um “gostinho de quero mais” e decidimos que teríamos que voltar para conhecermos Maceió com calma. Resolvemos fechar um pacote com a CVC (aéreos – transfers – hospedagem e city tour) devido a facilidade de dividir em suaves prestações o valor da alta temporada, já que fomos em janeiro deste ano. Havíamos tido uma boa experiência com a empresa quando fomos para Aruba, principalmente pelo serviço da gerente da agência com a qual fechamos o negócio. Desta vez, não tivemos a mesma sorte. Na véspera do Natal, a gerente nos ligou para avisar que a companhia aérea tinha remarcado os horários de nossos vôos. Com isso, perdemos “quase” um dia de nossa viagem. Descobrimos que não ocorreu somente conosco, mas com várias pessoas que estavam hospedadas no mesmo hotel. Pulando esta parte chata, que provavelmente será resolvida na justiça, voltemos ao que interessa…

Nosso roteiro de seis dias em Maceió foi preenchido com as seguintes atividades :

  1. City tour (praia do Francês, centro histórico e feirinha de artesanato);
  2. Praia de Paripueira (piscinas naturais) e praia de Carro Quebrado;
  3. Praia da Pajuçara e Ponta Verde, caminhada  pelo calçadão e ida a feirinha de artesanato (devido ao cancelamento do passeio ao Cânion de São Francisco);
  4. Praia do Patacho (alugamos carro);
  5. Praia do Toque e praia de Ipioca (Hibiscus);
  6. Praia do Gunga e Dunas de Marapé.

Como este texto é uma introdução, as atividades serão relatadas nos outros posts da série.

Em linhas gerais, Maceió é um lugar de gente muito simpática que está sempre pronta para te dar informação de bom grado. É uma cidade onde o turismo é mais barato se comparada com outras cidades do nordeste. Porém, no quesito segurança, deixa um pouco a desejar, pois não é aconselhável “dar mole” com seus pertences. Mesmo do outro lado do calçadão, há que prestar atenção nos “meninos” que andam “visando” turistas descuidados. Sei que é triste ressaltar isto, mas é bom alertar! Smiley decepcionado

A paisagem de Alagoas é linda e suas praias maravilhosas!!! Ilha com palmeira Com toda a certeza voltaria a Maceió para visitar os lugares que, infelizmente, não deu tempo de conhecer e matar  a saudade dos outros que curtimos!!! Smiley de boca aberta

Uma boa dica é alugar carro porque não é caro e você fica com mais liberdade para fazer os passeios que desejar, sem depender de hora fixa. Não é difícil dirigir pela cidade. Em janeiro (2012) alugamos um Prisma 1.4 por R$100,00 a diária. O próprio hotel nos indicou a locadora.

Por falar em hotel, nos hospedamos no Costamar, na divisa das Praias de Pajuçara e Ponta Verde, pois já estava incluso no pacote. Hotel mediano, serviu ao nosso propósito, boa localização. Aliás, acho que o ideal é ficar perto do trecho dos restaurantes mais movimentados e das feirinhas de artesanato. É sempre uma caminhada gostosa!

MACEIÓ 2012 002

Vista do terraço onde é servido o café da manhã.

Uma ótima forma de economizar uma graninha, é não comprar garrafinhas de água mineral e afins no hotel, já que os preços são sempre “salgados”. Uma prática que adotamos e que está dando certo é sempre passar no supermercado mais próximo e comprar garrafas d’água, sucos e biscoitos. Assim, você coloca os sucos e o ‘”garrafão” d’água no frigobar e tem sempre “algo” para belicar naquelas horas em que a preguiça de sair fala mais alto. Bem, se você acha que isso é ser “mão de vaca”, pode até ser, mas eu fico pau da vida de saber que estou pagando R$2,00 por uma garrafinha de 300ml quando posso pagar menos deste valor por uma garrafa de 1 litro. Agora imagina, ao final de seis dias, quantas garrafinhas você terá tomado? Smiley piscando

Quanto ao city tour – apesar de não gostar da muvuca e ficar dependendo dos outros – quando está incluído no pacote eu acho até legal, pois te dá uma noção rápida da cidade para você decidir se volta em algum lugar com mais calma ou não. O city tour que fizemos, começou pela Praia do Francês (falarei no post sobre praias). Na volta, passamos pelo centro da cidade, que para falar a verdade não me chamou atenção, porém gosto é algo muito particular, não? Para terminar, logicamente, parada estratégica no pavilhão do artesanato. Como estávamos hospedados ali por perto, nos despedimos do city tour e voltamos caminhando para o hotel. Para mim, o city tour é interessante para começar a entender como funciona a cidade, já que sou muito visual.

Ao ler os próximos posts, você verá que meu marido e eu adoramos Maceió!!! É uma delícia caminhar por sua orla descompromissadamente, sentindo sempre aquele ventinho no rosto. É maravilhoso mergulhar e ficar “de bobeira” em suas águas mornas!!! E o camarão? Só de pensar… ai que fome! Sem contar a  simpatia do povo que é marcante!!!

É uma viagem que vale muito a pena!!!

No próximo post: o consumismo e a gula, ou seja, compras e restaurantes!   Smiley de boca aberta

Categorias: Viagens | Tags: , , , | 4 Comentários

Blog no WordPress.com.